Pular para o conteúdo Pular para o menu principal
Portal do Governo do Estado do Rio de Janeiro
Contatos
Tel.: (24) 3338-9913/9822/
(24) 3339-9036/3345-8324

Rua Cincinato Braga n°221. Bairro : Aterrado. CEP:27213-040

Com sede em Volta Redonda, a Superintendência Regional Médio Paraíba do Sul (Supmep) atua na Região Hidrográfica III, constituída pela bacia do Rio Preto e pelas bacias dos rios afluentes do curso médio superior do Rio Paraíba do Sul, abrangendo, integralmente, os municípios de Itatiaia, Resende, Porto Real, Quatis, Barra Mansa, Volta Redonda, Pinheiral, Valença, Rio das Flores e Comendador Levy Gasparian, e, parcialmente, os municípios de Rio Claro, Piraí, Barra do Piraí, Vassouras, Miguel Pereira, Paty do Alferes, Paraíba do Sul, Três Rios e Mendes.

 

.

.

<!--SiteStudioNavNodes.label--> Baía da Ilha Grande Lagos São João Piabanha Baía de Guanabara Médio Paraíba do Sul Macaé e das Ostras Dois Rios Baixo Paraíba do Sul Baía da Ilha Grande

A Superintendência Regional Médio Paraíba do Sul (Supmep) tem, na sua base econômica, mais de 50% do PIB composto pela produção industrial, destacando-se os setores siderúrgico, no Vale do Paraíba do Sul, metalomecânico, em Volta Redonda e munícipios do Médio Paraíba, e automotivo, em Resende e Porto Real. As indústrias dos setores cimenteiro, alimentício e energético, assim como a agropecuária voltada para criação de gado leiteiro, a produção de hortifrutigranjeiros e o comércio varejista, também estão entre as principais atividades econômicas do Médio Paraíba do Sul.

Há registros de fauna ameaçada de extinção, pelo desmatamento e caça: a ave jacutinga, o cágado-do-paraíba, o muriqui, o tatu-canastra e o surubim-do-paraíba. Além destes, o guará, ave de plumagem avermelhada, vem sendo avistado em Resende, Quatis e Porto Real.

 

Comitê de Bacia

A região está na esfera de atuação do Comitê da Bacia Hidrográfica do Médio Paraíba do Sul, que também está sediado em Volta Redonda e abrange, integralmente, os municípios de Barra Mansa, Comendador Levy Gasparian, Itatiaia, Pinheiral, Porto Real, Quatis, Resende, Rio das Flores, Valença e Volta Redonda, assim como, parcialmente, os municípios de Barra do Piraí, Mendes, Miguel Pereira, Paraíba do Sul, Paty do Alferes, Piraí, Rio Claro, Três Rios e Vassouras, situados na região Sul Fluminense.

A estrutura do comitê é constituída pelo plenário, órgão máximo deliberativo composto por 24 membros, sendo oito representantes dos usuários de água, oito representantes da sociedade civil e oito representantes do poder público.

Site: www.cbhmedioparaiba.org.br

E-mail: cbhmediops@agepav.org.br / apoiocomites@gmail.com

Licenciamento ambiental;

Fiscalização ambiental;

Atendimento a denúncias;

Monitoramento ambiental.

Bacia do Rio Paraíba do Sul

Abriga o Rio Paraíba do Sul, que abastece de água 80% da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Atualmente a bacia está consideravelmente descaracterizada em relação às condições ambientais originais, não somente pela devastação quase total da cobertura vegetal, mas também pela expansão urbana e industrial, construção de barragens, regularização da vazão do Rio Paraíba do Sul em seu curso superior e médio, e a transposição de suas águas pelo sistema Rio-Light. Como grave consequência dos barramentos, o rio está sendo gradativamente compartimentado em segmentos delimitados pelas barragens. Cada trecho influenciado por barragens vêm adquirindo características ecológicas próprias em decorrência de impactos localizados e influenciados por ações antrópicas.

As principais fontes da poluição hídrica na bacia do Rio Paraíba do Sul são os esgotos domésticos e os efluentes industriais, embora haja perspectiva de o tratamento desses rejeitos começar a curto e médio prazo.

O Estado do Rio de Janeiro, como usuário a jusante, está totalmente vulnerável à poluição, às interferências e à manipulação dos recursos hídricos pelos usuários de montante no Estado de São Paulo e no Médio Paraíba. A carga de nutrientes gerada em território paulista, principalmente por esgotos sanitários, está transformando o reservatório, devido à excessiva produção de biomassa planctônica, inclusive de cianobactérias. No futuro, o acúmulo de nutrientes e poluentes no reservatório pode se tornar um sério problema.

Construção de hidrelétricas e novas barragens na calha principal do Rio Paraíba do Sul, provocando o desaparecimento de espécies de peixes nativas da bacia;

Lançamento de efluentes domésticos in natura e industriais nos corpos d’água;

Degradação do solo e devastação da cobertura vegetal decorrente da agricultura, dos processos erosivos e do assoreamento;

Crescimento urbano e industrial desordenado e ocupação das áreas de preservação permanente.

Unidades de Conservação da Natureza (UCs) são áreas com relevantes características naturais delimitadas e protegidas por lei, como a áreas de relevante interesse ecológico (Arie):

Parque Estadual da Serra da Concórdia - Valença;

Parque Estadual da Pedra Selada - Itatiaia e Resende;

Parque Nacional do Itatiaia - Itatiaia e Resende;*

Arie Floresta da Cicuta - Volta Redonda.

 

*Permitida a visitação.

Convênio Inea/Companhia Siderúrgica Nacional/Fundação Educacional Ciência em Desenvolvimento 

O objetivo dos contratos é viabilizar suporte científico, administrativo e financeiro para a execução de uma série de estudos no Rio Paraíba do Sul na região do Médio Paraíba compreendida entre o Distrito Industrial de Resende e a barragem de Santa Cecília. Os estudos consistem no monitoramento físico, químico e biológico, principalmente da ictiofauna, com o objetivo de avaliar o status da qualidade ambiental do Rio Paraíba do Sul na região.

 

Programa de Recuperação da Ictiofauna Nativa do Rio Paraíba do Sul 

Coordenado pelo Serviço de Informação e Monitoramento da Supmep, envolve vários parceiros, como o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversiade (ICMBio), a Estação de Hidrobiologia e Aquicultura da Cesp em Paraibuna (EHA Paraibuna), o Laboratório de Genética de Organismos Aquáticos e Aquicultura da Universidade de Mogi das Cruzes e a Associação dos Pescadores e Amigos do Rio Paraíba do Sul/Projeto Piabanha, de Itaocara, entre outros. Até o momento, o serviço conseguiu soltar na região do Médio Paraíba aproximadamente 120.000 peixes em estágio embrionário e de espécies nativas ameaçadas.

A iniciativa também apoia o Programa de Recuperação da Fauna Ameaçada, da SEA, e o Plano de Ação Nacional (PAN) para recuperação da população de peixes ameaçada de extinção na Bacia do Rio Paraíba do Sul, coordenado pelo CEPTA/ICMBio.