A análise de risco tecnológico tem por finalidade identificar, avaliar e gerenciar os riscos a que estão sujeitos a população e o meio ambiente, visando a prevenção da ocorrência de graves acidentes de origem tecnológica.

Esta análise é aplicada às empresas que produzem, operam, armazenam, geram ou transportam por dutos, substâncias líquidas ou gasosas classificadas como tóxicas, inflamáveis e combustíveis da classe II, utilizadas nas seguintes atividades:
• químicas e farmacêuticas;
• de petróleo e petroquímicas;
• de gás;
• dotadas de sistemas de refrigeração (alimentícias, de bebidas, frigoríficos etc.);
• terminais terrestres, armazéns, bases de distribuição, depósitos e instalações similares;
• de produção de água tratada;
• de transporte por oleodutos e gasodutos;
• portos (cais, portos e terminais de atracação de embarcações);
• usinas termelétricas a gás. 

Estudos de Análise de Risco

Análise de risco é a avaliação metódica, quantitativa ou qualitativa, de uma atividade humana, visando a determinação da probabilidade dessa atividade produzir danos, conjugada com a severidade desses danos.

Isso implica em estudar um cenário ou uma hipótese, identificar se é perigoso, avaliar as consequências ou danos que possam causar, e desenvolver ações para tentar evitar ocorrências indesejáveis.

  • Risco = conjunto dos danos e perdas que possam vir a ocorrer por causa dos perigos existentes (associado a um sistema, atividade ou organização). 
  •  Perigo = qualidade (propriedade) daquilo que pode causar danos.

Portanto, identificá-los é localizar substâncias, agentes, produtos, situações, eventos e operações perigosas. Como o perigo não existe fora da relação agente agressivo/alvo, a classificação de um ente como perigoso sempre subentende um determinado alvo: humano, ambiental ou patrimonial.

O objeto, que pode ser uma organização, empreendimento, área, sistema, processo, atividade ou intervenção, é estudado detalhadamente com a finalidade de identificar perigos e avaliar os riscos a eles associados.

Para efetuar o estudo, o objeto é dividido segundo o critério que pareça mais conveniente. Assim, podem-se dividir áreas em espaços menores, sistemas em subsistemas, processos em etapas ou funções, operações e atividades em etapas, empreendimentos em fases.

Um Estudo de Análise de Riscos deve responder às seguintes perguntas básicas:
O que pode acontecer de errado?
• Quais são as causas dos eventos não desejados?
• Com que frequência isso pode acontecer?
• Quais são as consequências?
• Os riscos são toleráveis?
• Quais as medidas necessárias para tornar os riscos aceitáveis ou toleráveis?